Publicación científica electrónica trimestral que ofrece a los profesionales del campo de la salud y sus afines un sitio de reflexión y debate crítico sobre aspectos teóricos y prácticos del uso de las plantas medicinales y de los medicamentos herbarios, y constituyen un vehículo informativo del desarrollo del pensamiento y las investigaciones en este campo.

Esta revista NO APLICA CARGOS POR PROCESAMIENTO NI PUBLICACIÓN DE ARTÍCULOS

Último Número

Volumen 25, Número 1 (2020): enero-marzo

Tabla de contenidos

Artículos originales

Potencial antibacteriano e modulador de antibióticos das folhas de Allamanda puberula A.DC. (quatro-patacas)

Introdução: Extratos de plantas têm sido testados com o intuito de descobrir novos compostos com atividade antibacteriana reconhecida. 

Objetivos: Explorar o extrato etanólico das folhas de A. puberula, quanto à presença de compostos químicos, atividade antibacteriana e como um agente modificador da resistência aos antibióticos das classes dos aminoglicosídeos e lincosamidas. 

Métodos: O extrato etanólico foi obtido a partir das folhas frescas de A. puberula e submetido à análise fitoquímica, pelo método colorimétrico. A atividade antibacteriana in vitro frente cepas padrões de Staphylococcus aureus, Pseudomonas aeruginosa e Escherichia coli foi avaliada pela microdiluição em caldo, determinando a Concentração Inibitória Mínima. A modulação da atividade antibiótica foi testada em concentração subinibitória. 

Resultados: O produto natural apresentou em sua constituição, metabólitos secundários com reconhecida atividade biológica, no entanto, não foi constatada atividade antibacteriana clinicamente relevante do extrato isolado frente às linhagens trabalhadas. Houve melhora na resposta quando associado o produto natural com aminoglicosídeos, tendo a atividade da amicacina concomitante ao extrato frente à S. aureus e E. Coli, uma redução significativa da CIM de 182,29 μg/ml para 32,55 μg/ml e de 42,315 μg/ml para 26,04 μg/ml, respectivamente. A gentamicina associada ao extrato frente à P. aeruginosa obteve redução da CIM de 104,17 μg/ml para 15,46 μg/ml. 

Conclusões: A associação do antibiótico com o produto natural diminuiu a dose terapêutica, esta atividade pode ser justificada pela presença de metabolitos secundários no extrato que possui reconhecida atividade antibacteriana.
Ana Paula Leite Nascimento
41 lecturas
PDF
Efeito do extrato das folhas de Carica Papaya L. (mamoeiro) sobre o dano hepático induzido por paracetamol

Introdução: O extrato das folhas de Carica papaya L. (mamão) é bem conhecido por ter propriedades antioxidantes. Suas folhas apresentam compostos fenólicos, alcaloides, vitaminas e minerais. 

Objetivo: Avaliar o efeito do extrato aquoso das folhas de mamoeiro (500 mg/kg) em camundongos submetidos ao estresse oxidativo induzido por paracetamol.  Métodos: As folhas foram selecionadas e secas e moídas, submetido à extração por infusão com água destilada a 70°C/ 1h. A solução foi filtrada e concentrada por rota-evaporação a 70°C. Camundongos Swiss machos receberam uma dose única de 250 mg/kg de paracetamol ou água, depois de 3h, os animais foram tratados durante 7 dias com extrato ou água. 24h após o tratamento foi retirado o sangue e os animais foram sacrificados para retirada do fígado e submetido às seguintes análises: carbonilação de proteínas, substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico (lipoperoxidação), catalase, superóxido dismutase, glutationa-Stransferase, glutationa reduzida, ácido ascórbico e parâmetros bioquímicos do plasma (transaminases, fosfatase alcalina, glicose e colesterol). 

Resultados: O extrato reverteu o dano causado por paracetamol sobre a atividade da glutationa-S-transferase, carbonilação de proteínas e lipoperoxidação, além da restauração da atividade das transaminases. O extrato per se reduziu glutationa-S-transferase e ácido ascórbico, os níveis séricos de glicose, colesterol e alanina aminotransferase.

Conclusão: O extrato aquoso das folhas do mamoeiro é capaz de exercer ações com efeitos antioxidantes, porém, é necessário o desenvolvimento de novas pesquisas a fim de descrever mais detalhadamente sobre seu provável potencial antioxidante.

Lauani Bárbara Luzia, Naiéle Sartori Patias, Adilson Paulo Sinhorin, Valéria Dornelles Gindri Sinhorin
36 lecturas
PDF
Caracterización química y actividad biológica de las hojas y semillas de Chrysobalanus icaco L. (Icaco)

Introducción: Chrysobalanus icaco L. (Chrysobalanaceae) es un arbusto utilizado en la fitoterapia tradicional latinoamericana, pero en la provincia de Chiriquí se ha registrado el uso de su fruto para hacer conservas, no de forma medicinal.  Objetivo: Caracterizar los metabolitos secundarios presentes en las hojas y semillas de Chrysobalanus icaco y evaluar su actividad biológica in vitro. Métodos: Los metabolitos secundarios presentes en los extractos de las hojas, semilla inmadura y madura de Chrysobalanus icaco, se detectaron a través de tamizaje fitoquímico y purificación por técnicas cromatográficas. Posteriormente se evaluó el contenido de polifenoles totales y la actividad antioxidante total de la infusión de las hojas, semillas y pulpa de esta especie, así como la actividad antibacteriana in vitro

Resultados: En las hojas se identificaron por tamizaje fitoquímico, flavonoides, glucósidos cardiotónicos, triterpenos y esteroides. Para la semilla inmadura se encontró presencia mayoritaria de mezclas de azucares, mientras que para la semilla madura se detectaron ácidos grasos en el endocarpio (almendra). Los datos de polifenoles totales en extractos de Icaco mostraron alto contenido de estos metabolitos en la infusión de hojas secas, y la inhibición del radical DPPH fue mayor también para las hojas secas de icaco, seguido de la infusión de semilla inmadura. Por otro lado, la infusión de hojas secas y el licuado de la pulpa fueron los que mostraron una mayor inhibición contra la cepa de Staphylococcus spp. en el ensayo de actividad antibacteriana.

Conclusión: Las hojas secas de Chrysobalanus icaco mostraron alto contenido de polifenoles, asociado a su potencial actividad antioxidante y antibacteriana. Además, se aportaron nuevos datos de composición química de la semilla, se observó que los azúcares detectados inicialmente en la semilla inmadura se pierden considerablemente con la maduración del fruto.

Eriberto Villagra, Edmond Jahir Quintero Barba, Aldahir Mero, Estela Guerrero De León, Juan Antonio Morán-Pinzón, Jorge Alejandro Palermo, Laura Patricia Patiño Cano
27 lecturas
PDF
Guillermo Arturo Herrera Chan, Rodrigo Ribeiro Fidelis, Taynar Coelho de Oliveira Tavares, Marilia Barcelos Souza Lopes, Kleycianne Ribeiro Marques, Wagner Augusto Rauber
21 lecturas
PDF
Estudo sazonal do óleo essencial das folhas de Casearia sylvestris Sw. (guaçatonga) do PARNATijuca

Introdução: A espécie Casearia sylvestris Sw. é utilizada pela população como planta medicinal, e está inserida na lista da “Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao Sistema Único de Saúde”. 

Objetivo: Avaliar o estudo sazonal da espécie C. sylvestris no Parque Nacional da Tijuca. 

Métodos: Os óleos essenciais de todas as estações foram extraídos por hidrodestilação em aparelho modificado de Clevenger por duas horas, e as análises foram feitas por cromatografia gasosa acoplada a espectrômetro de massas e cromatografia gasosa com detector de chama. 

Resultados: Verificou-se que os componentes majoritários deste óleo (germacreno B, γ-elemeno e β-elemeno) não apresentaram alterações em sua composição no período de um ano. Portanto, estudos sazonais são primordiais para a espécie C. sylvestris, tendo em vista que a mesma está presente na lista de Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao Sistema Único de Saúde. Existe uma carência de informações sobre estudos sazonais para averiguar variações de componentes ativos que possam comprometer a utilização desta espécie como planta medicinal no país, assim como matéria-prima de produtos biotecnológicos. 

Conclusão: O óleo essencial de folhas de C. sylvestris coletadas no Rio de janeiro difere do perfil químico de outros indivíduos coletados em outros Estados do Brasil, além do que não houve variações na composição do óleo para os componentes majoritários.
Flaviane Pereira
21 lecturas
PDF
Avaliação antioxidante do extrato da semente de Hymenaea Courbaril l. (jatobá) em camundongos tratados com acetaminofeno

Introdução: Hymenaea courbaril L. ou jatobá é usado na medicina popular, para úlceras, diarreia, inflamação, gripe, bronquite. 

Objetivo: Avaliar a atividade antioxidante e hepatoprotetora do extrato das sementes jatobá contra danos induzidos por acetaminofeno.

Métodos: As sementes dos frutos foram selecionadas, lavadas e secas em estufa com circulação de ar a 60 ºC e trituradas. O material foi macerado em diferentes solventes, fracionado em coluna de sílica gel por gradiente de polaridade e posterior obtenção das frações Hexânica (12,1 g), AcOEt (17,2 g) e MeOH (38,7 g), respectivamente. A fração metanólica (MeOH) e acetato de etila (AcOEt) obtidas foram usadas para investigação in vitro, para a determinação do potencial antioxidante (DPPH·) e fenóis totais. Para os testes in vivo a fração metanólica foi escolhida (250 mg/kg). Camundongos Swiss machos foram divididos em quatro grupos: controle, PCM (controle positivo - paracetamol 250 mg/kg), PCM + MeOH e MeOH. Foram realizadas as seguintes análises: superóxido dismutase (SOD), catalase (CAT), glutationa-S-transferase (GST), glutationa reduzida (GSH), ácido ascórbico (ASA) carbonilação de proteínas e parâmetros bioquímicos do plasma (aspartato aminotransferase (AST), alanina aminotransferase (ALT), glicose e colesterol).

Resultados: A fração das sementes apresentou capacidade antioxidante devido elevação dos níveis de CAT, GST, GSH e ASA nos homogeneizados hepáticos prétratados com PCM. O tratamento com a fração também melhorou os níveis de GSH nos rins e reverteu o aumento de carbonilação de proteínas no cérebro dos animais. A fração não alterou os parâmetros bioquímicos do plasma.

Conclusão: Os resultados da investigação revelaram que a fração MeOH da planta protege o fígado e rins contra lesões induzidas por paracetamol pelos seus constituintes antioxidantes.

Valéria Dornelles Gindri Sinhorin
21 lecturas
PDF

Articulos de revisión

Mayasil Morales Pérez, Milagros Tomasa García Mesa, Lérida Lázara Acosta de la Luz, Junior Vega Jiménez, Idalmis Céspedes Martínez, Johann Perdomo Delgado
216 lecturas

Carta al Editor

Aceite del árbol del té como una alternativa de vida
Carlos Javier Perdigón Portieles
PDF