Ação dos extratos de quatro plantas sobre larvas infectantes de nematódeos gastrintestinais de ovinos

Izabella Cabral Hassum, Caroline Rita Venturi, Grace Gosmann, Ana M. Girardi Deiro

Texto completo:

HTML

Resumen

RESUMO

Introdução: a ação de extratos hidroalcoólicos de Eugenia uniflora L. (pitangueira), Mentha x piperita L. (hortelã), Myrcianthes pungens (O. Berg) D. Legrand (guabiju) e Peltophorum dubium (Spreng.) Taub. (canafístula) foi avaliada sobre o desenvolvimento de nematódeos gastrintestinais nas coproculturas de ovinos.
Objetivo:
avaliar a ação in vitro dos extratos vegetais sobre os nematódeos gastrintestinais de ovinos.
Métodos:
cada extrato foi testado em culturas triplicadas de fezes nas seguintes concentrações: 200, 100, 20 e 2 mg.mL-1. Como controle positivo foi utilizado moxidectina (0,001 mg.mL-1) e água destilada como controle negativo. Após incubação, as larvas recuperadas foram fixadas, coradas e conservadas para posterior leitura.
Resultados:
a concentração de 200 mg.mL-1 do extrato de Eugenia uniflora foi a que promoveu menor número de larvas infectantes recuperadas das coproculturas de ovinos (número de larvas por grama de fezes= 19) quando comparada as outras concentrações. Este valor foi dez vezes menor que o ldpg recuperado das coproculturas tratadas com o mesmo extrato na menor concentração (2 mg.mL-1).
Conclusão:
a ação do extrato de Eugenia uniflora na maior concentração não diferiu estatisticamente do controle positivo (p< 0,05), sugerindo um efeito sobre a cultura destes nematódeos gastrointestinais.

 





Copyright (c) 2019 Izabella Cabral Hassum, Caroline Rita Venturi, Grace Gosmann, Ana M. Girardi Deiro

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.