Atividade antimicrobiana de produtos obtidos de espécies de Piper (Piperaceae)

Harley da Silva Alves

Texto completo:

HTML

Resumen

Introdução: espécies do gênero Piper são encontradas nas regiões tropicais do globo e possuem inúmeras indicações terapêuticas.
Objetivos: avaliar a atividade antimicrobiana de extratos e frações de quatro espécies de Piper, além de dois flavonoides isolados de Piper montealegreanum e determinar a concentração inibitória mínima dos produtos ativos.
Métodos: o material vegetal foi coletado em diferentes regiões do estado da Paraíba e na cidade de Belém (Pará) submetido à extração com etanol e partição com solventes em grau crescente de polaridade. Os flavonoides foram isolados por meio de técnicas cromatográficas. A avaliação da atividade antimicrobiana foi realizada pelo método de disco-difusão frente a três espécies bacterianas: Staphylococcus aureus ATCC 25923, Escherichia coli ATCC 25922, Pseudomonas aeruginosa ATCC 27853 e três espécies fúngicas: Candida albicans ATCC 76645, Candida tropicalis ATCC 13803 e Candida glabrata ATCC 15545.
Resultados: quase metade dos produtos testados foi capaz de inibir o crescimento de S. aureus com halos de inibição variando entre 8-16 mm. O extrato etanólico bruto e as frações hexânica e CHCl3 das folhas de P. mollicomum mostraram atividade antibacteriana frente as três linhagens testadas. As frações hexânicas de P. arboreum, de P. caldense e de P. mollicomum apresentaram atividade antifúngica, enfatizando a formação do halo de inibição de 28 mm para a fração de P. mollicomum. Os dois flavonoides isolados de P. montealegreanum não apresentaram atividade antimicrobiana.
Conclusões: os resultados preliminares deste estudo sugerem que alguns dos produtos obtidos das espécies de Piper são uma fonte promissora de compostos com atividade antimicrobiana.