Ação dos extratos de quatro plantas sobre larvas infectantes de nematódeos gastrintestinais de ovinos

Izabella Cabral Hassum, Caroline Rita Venturi, Grace Gosmann, Ana M. Girardi Deiro

Texto completo:

HTML

Resumen

RESUMO

Introdução: a ação de extratos hidroalcoólicos de Eugenia uniflora L. (pitangueira), Mentha x piperita L. (hortelã), Myrcianthes pungens (O. Berg) D. Legrand (guabiju) e Peltophorum dubium (Spreng.) Taub. (canafístula) foi avaliada sobre o desenvolvimento de nematódeos gastrintestinais nas coproculturas de ovinos.
Objetivo:
avaliar a ação in vitro dos extratos vegetais sobre os nematódeos gastrintestinais de ovinos.
Métodos:
cada extrato foi testado em culturas triplicadas de fezes nas seguintes concentrações: 200, 100, 20 e 2 mg.mL-1. Como controle positivo foi utilizado moxidectina (0,001 mg.mL-1) e água destilada como controle negativo. Após incubação, as larvas recuperadas foram fixadas, coradas e conservadas para posterior leitura.
Resultados:
a concentração de 200 mg.mL-1 do extrato de Eugenia uniflora foi a que promoveu menor número de larvas infectantes recuperadas das coproculturas de ovinos (número de larvas por grama de fezes= 19) quando comparada as outras concentrações. Este valor foi dez vezes menor que o ldpg recuperado das coproculturas tratadas com o mesmo extrato na menor concentração (2 mg.mL-1).
Conclusão:
a ação do extrato de Eugenia uniflora na maior concentração não diferiu estatisticamente do controle positivo (p< 0,05), sugerindo um efeito sobre a cultura destes nematódeos gastrointestinais.